casa / Religião / POR PADRE EUDER: O que acontece no Brasil hoje?

POR PADRE EUDER: O que acontece no Brasil hoje?

euderO que acontece no Brasil hoje? É uma pergunta que todos podemos nos fazer. Por que tanta corrupção e tantas opiniões e posicionamentos radicais de lados opostos até então e que cada vez se encontram mais e mais e não nas coisas boas, mas exatamente nos erros: mentira, corrupção, apego ao poder, etc. De fato, racionalmente, devemos ter consciência de que há um problema em geral de corrupção em todas as esferas de poder, em todas as esferas da sociedade brasileira e, infelizmente, dentro de cada coração porque esse “grande mal” de que estamos tanto falando nos últimos dias, de que o Brasil se envergonha, nada mais é que o mal que o coração humano permite desenvolver.
Devemos sim lutar com todas as forças contra o mal da corrupção, mas aproveitemos esse tempo especial de crise para lutar contra aquela corrupção de que nós somos cúmplices: o voto dado por um interesse só pessoal, o silêncio diante do erro, o consentimento com as pequenas injustiças em prol de algum benefício pessoal, etc. E aí lutemos também contra a corrupção no mundo da política ou do nosso trabalho ou onde atuamos. Sugiro refletirmos ainda. Não é algo profundamente absurdo que alguém que também está sendo acusado de corrupção presida um processo para caçar outro alguém que também está sendo acusado? Como se poderá ler amanhã isso na história? Uma casa que possui muitos nomes na lista da Lava Jato aprova o impeachment de uma presidente que tem o seu nome também envolvido segundo o que andam dizendo nas diversas investigações. Sinceramente, e o que dizer de alguém ou de outro partido derrotado nas eleições presidenciais que também tem seu nome envolvido nas mesmas investigações e se enche de orgulho para criticar os outros, mas que também não consegue se pronunciar nas manifestações que dizia apoiar contra a corrupção pelo mesmo motivo.
Temos que pensar. Adianta os eleitores e militantes ficarem brigando entre si? Está faltando racionalidade e serenidade. Pensemos que há um mal que precisa sim ser erradicado, mas não há nenhuma opção viável que ainda se apresente. Infelizmente, o horizonte é catastrófico se observamos uma possível linha sucessória em caso de impeachment. Mas isso não significa dizer que está bem como está. Isso todo mundo sabe que não. Mas uns tentam iludir os outros de que o problema é externo, vem como um golpe, mas de fato, por outro lado, os outros querem nos iludir de novo dizendo que são os defensores da justiça e da verdade contra a corrupção. Lamento dizer, mas os dois lados procuram nos iludir.
Aprendi na filosofia que sempre que apoiamos apaixonadamente os extremos erramos feio. Pois, então, da nossa parte, devemos desde já refletir sobre os nossos próximos passos. Não dá pra ficar na defensiva ou na acusação. Está na hora de repensar o Brasil. E isso significa: Não se deixar levar por esse ou por aquele grupo e principalmente não se deixar guiar pelos cegos de hoje. No passado, havia alguns pensadores e críticos, que hoje parecem ter se tornado cegos pela paixão partidária. Ainda bem que existem pessoas capazes de reflexão ainda e se mantém não atreladas a partidos mas a causas que são mais importantes do que partidos. Afinal, me parece que um partido nasce por uma causa e não o contrário. Que surjam mais pessoas livres para refletir porque o Brasil precisa mais de reflexão e menos agora de paixão. Menos violência verbal ou física, mais sinceridade e paz em vista da reconstrução ou da construção de novos tempos.
Se um cristão vê que o seu partido não corresponde de verdade ao que defendeu a vida inteira deve ser capaz de reconhecer isso e de lutar para que o mesmo mude ou deixá-lo seguindo sua consciência. O que não dá é, em nome de qualquer tipo de orgulho, ficar numa barca furada sabendo que ela vai afundar porque tem vergonha de reconhecer “errei”. E isso que digo se refere a qualquer partido ou a qualquer grupo de que participamos. Ou luto para mudar radicalmente a começar do meu próprio coração até atingir o meu grupo ou procuro outro caminho que corresponda às verdadeiras causas e ideais que não podemos nunca trair, a luta pela melhoria das condições sociais das pessoas, a verdade e uma sociedade justa, sem a corrupção que penaliza os mais fracos. Não adianta dar pão para o pobre e lhe roubar, às escondidas, a oportunidade de crescer como pessoa por seu trabalho e através de seus esforços através de um salário digno. Basta nos perguntar: porque um deputado ou um vereador recebe “mil” vezes mais que um professor? Nunca achei isso justo. Que justiça estão clamando agora esses deputados? Por que um presidente ou um ministro do governo têm um foro privilegiado e um pobre não? Isso é justo? Rezemos. Pensemos. Mudemos. A começar de nós mesmos, lutemos contra o nosso egoísmo.

Padre Euder

Além disso, verifique

gruo

Jovens de Capela Nova Participam de Jubileu em Mariana-MG

A Pastoral da Juventude de Capela Nova que participou juntamente, com jovens de toda região do …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

}
CAPELANEWS - A Região Interligada com você! - Copyright © 2010 - 2016 / Fundado em 01 de julho de 2010 - 06 anos no AR